quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Adolescente encontra carteira com R$ 1,6 mil no lixo e devolve ao dono

O nome dele é Lucas Yuri Bezerra. Estudante, 16 anos. Um adolescente brasileiro comum: brincalhão, estuda de manhã e trabalha à tarde para ajudar a família. Ganha R$ 394 no trabalho. Sonha em ser militar ou engenheiro. Mas seu olhar ameno traduz os valores que o destacam: um jovem determinado e justo. 



Nesta terça-feira (dia 11/08), a caminho da escola, o adolescente do Distrito Federal achou no lixo uma carteira, dentro havia R$ 1,6 mil. 

“Estava indo para a escola com uns amigos meus, aí olhei para baixo e vi a carteira no meio do lixo. Achei que alguém tivesse jogado fora. Dei para o meu amigo brincando. Ele acabou jogando para cima, também brincando. Quando ela subiu é que a gente viu o dinheiro. Ele catou e saiu correndo, dizendo que era dele. A gente conversou, e eu o convenci a devolver”
explicou o adolescente


O menino nem cogitou a hipótese de ficar o dinheiro. Estava determinado a devolver o dinheiro, mesmo com poucas pistas que o levassem ao dono. Na carteira não havia nenhum documento, apenas o orçamento de uma oficina mecânica e um telefone anotado. 

Estudante do Centro de Ensino Fundamental 312, de Samambaia, foi aconselhado por uma professora e recebeu o auxílio da coordenadora da escola, que o notaram nervoso e angustiado. A coordenadora Rivânia de Araújo ligou para a oficina mecânica e, horas depois de a carteira ser encontrada, localizou o dono. 

“Ele estava nervoso, sem saber o que fazer”, conta. “Por duas vezes perguntei se ele queria que achasse o dono, se ele queria mesmo, porque aí eu investigaria. Ele não teve dúvidas de que sim.”
contou a coordenadora Rivânia de Araújo

O dono da carteira era um pedreiro aposentado, de 66 anos, que acabou deixando a carteira cair no lixo, quando o retirava para fora de casa. O aposentado notou a perda quando estava com a mulher no hospital - sua mulher sofre de problemas no joelho e anda com dificuldades. 

“Fiquei louco sem saber o que fazer, porque não tinha mais nenhum tostão. Fiquei pensativo”, 
disse o pedreiro.

O dinheiro correspondia a todo o benefício que recebe e seria utilizado para pagar as contas de casa, abastecer o carro e comprar remédios.

"Fiquei muito feliz de ver que ainda tem gente boa no mundo, porque a gente vê muita gente que não presta. Mas ainda tem gente que vale muito. Esse dinheiro é essencial, era tudo o que eu tinha.” 
contou o aposentado Eleutério, ao buscar o dinheiro, que foi devolvido na escola.

A  avó do garoto ficou emocionada com o gesto do neto:

“Achei um gesto muito bonito, fiquei muito emocionada. Não esperava outra coisa dele, ele é um menino muito abençoado”, 
declarou ao G1.

Lucas Yuri Bezerra, o adolescente que devolveu carteira com R$ 1,6 mil
(Foto: Rivânia de Araújo/Arquivo Pessoal)

“O dinheiro não era meu. Então não era certo. Mesmo que eu não achasse o dono, eu não conseguiria gastar. Simplesmente não era meu. Não podia gastar, mesmo sem saber. Se eu gastasse, sentiria que eu tirei o dinheiro de alguém”, 
explica.


“A sensação é de dever cumprido. A gente está vendo só notícia ruim da nossa periferia, aqui em Samambaia, e quero crer que, como o Lucas Yuri, têm muitos Lucas aqui na escola”, 
disse a coordenadora.