domingo, 24 de janeiro de 2016

Pessoas gentis são mais atraentes, felizes e bem-sucedidas

Autor tematiza a gentileza em livro. 

Na obra A arte da gentileza: as pessoas mais gentis são mais felizes e bem-sucedidas, o psicoterapeuta   italiano, Piero Ferrucci, nos mostra a importância dos pequenos gestos para nós mesmos, não apenas para o bem do próximo. Há uma energia transformadora capaz de nos fazer pessoas melhores por simplesmente fazermos aquilo que é correto. Há um encanto que veste uma pessoa que simplesmente deseja fazer o bem. Esse encanto nos inebria positivamente, agregando valor ao nosso viver e nos destaca nas diversas interações sociais.









A gentileza a que Piero Ferrucci se refere não é superficial, não é a hipocrisia e por isso tem tanto poder. O autor nos faz refletir sobre conceitos bem conhecidos, mas pouco praticados e que são essenciais para que haja a real gentileza: generosidade, respeito, lealdade, paciência e gratidão. Somos levados à consciência de que somos parte de algo maior, como um grão de areia no litoral em que estamos todos interligados. A sobrevivência humana muitas vezes depende de gestos de gentileza e o caos atual talvez deva-se ao individualismo e egoísmo excessivos em crescimento.

A palavra gentil vem do latim gentilis, que significa clã, ou seja, pessoas que convivem juntas. Mas a gentileza parece que anda em falta no cotidiano. O individualismo e a competitividade dificultam o contato desinteressado entre as pessoas.
Na rua, em casa, no trabalho. Cumprimentar um colega, agradecer, cumprir horários... ceder o lugar no ônibus para alguém que mais precisa... ajudar a mãe a lavar a louça, desculpar-se: tudo isso são pequenos exemplos de atos de gentilezas que devem ser cultivados para multiplicaram-se pelo mundo afora.
Livro A arte da gentileza:
as pessoas mais gentis são mais felizes e bem-sucedidas

de FERRUCCI, Piero2004.
Mas não é apenas pelo bem da humanidade. Quando somos gentis com o próximo, beneficiamos a nós mesmos. Transmitimos uma melhor impressão, aumentamos nossa produtividade e a sensação de bem-estar. E mais: a cordialidade elimina a ansiedade, diminui a tristeza e o estresse.

A Arte da Gentileza é introduzido com o seguinte prefácio de Dalai Lama sobre o autor e sua obra:



Este livro fala direto ao meu coração… O que mais me agrada em sua exposição é fazer da gentileza o ponto de partida, o manancial de onde nascem outras qualidades positivas, como a honestidade, o perdão, a paciência e a generosidade. Trata-se de um enfoque poderoso e inspirador…

Ferrucci evidencia em seu livro que a nossa felicidade está indissociavelmente ligada à felicidade do outro. Não nascemos para prejudicar as pessoas. Se fazemos algo ruim, o sofrimento é inevitável e a aflição atinge nosso coração. Se fazemos o bem, nossa vida ganha sentido e nos sentimos felizes, leves.